Ixequizumabe (Taltz): Sul América deve cobrir? Confira!

Ixequizumabe (Taltz): Sul América deve cobrir? Confira!

 

Caso você não tenha conseguido acesso ao medicamento, saiba que o plano de saúde Sul América deve cobrir ixequizumabe (Taltz), assim como todos os planos de saúde.

 

Muitas vezes, o plano nega o custeio dessa medicação alegando que não consta no Rol de Procedimentos da ANS, por exemplo. Porém, a Justiça tem decidido favoravelmente aos segurados que entram com ação judicial.

 

Elton Fernandes, advogado especialista em Direito da Saúde, tem aconselhado que os segurados procurem advogados especialistas em ações contra planos de saúde a fim de ingressar com processos judiciais e garantirem seu direito de acesso ao tratamento.

 

  • Como a negativa é vista pela Justiça?
  • Por que o Rol da ANS não pode ser usado como justificativa do plano para negar o medicamento?
  • Como é possível conseguir o ixequizumabe de forma rápida? A decisão favorável é comum?

 

Aqui, neste artigo, você tira essas e outras dúvidas, para que entenda que é um direito seu obrigar a operadora Sul América a fornecer o ixequizumabe.

 

O medicamento ixequizumabe, vendido sob o nome comercial Taltz, é indicado no tratamento de adultos acometidos por psoríase em placas moderada a grave, e que são elegíveis à terapia sistêmica ou fototerapia, conforme o que diz a bula.

 

A dose recomendada é de 160 mg por injeção subcutânea na primeira semana, sendo reduzida para 80 mg nas semanas seguintes, de acordo com a prescrição médica, mostrando-se essencial para o tratamento dos pacientes.

Continuar Lendo

 

A operadora Sul América negou a cobertura do ixequizumabe. Como a Justiça vê essa negativa?

A Justiça entende que o plano de saúde Sul América deve cobrir ixequizumabe (Taltz) e, com base sempre na lei, tem compreendido que, com essa negativa, o plano de saúde Sul América, assim como qualquer outro plano que negue esse medicamento, está agindo de forma abusiva e ilegal.

 

Isso tem a ver com o que a Justiça chama de recusa injustificada, já que existe prescrição médica para tal tratamento, e o médico tem total autorização para escolher o melhor tratamento para o seu paciente. Acompanhe o que se diz nesta decisão:

 

PLANO DE SAÚDE – Negativa de cobertura de tratamento médico indicado ao autor, diagnosticado com psoríase CID 140 e artrite psoriásica CID m07Expressa prescrição médicaRecusa injustificadaAbusividade reconhecida – Aplicação da Súmula 102 do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo – Recurso provido.

 

 Veja que, considerando o registro das doenças no código CID (Classificação Internacional de Doenças), o juiz reconhece a abusividade da recusa para exigir que o plano de saúde (como a Sul América) cubra o medicamento ixequizumabe.

 

Por que o Rol da ANS não deve ser relevante para o plano negar o medicamento?

Segundo o que sempre explica o advogado especialista em plano de saúde e liminares Elton Fernandes, o Rol de Procedimentos da Agência Nacional de Saúde (ANS) é um inventário em que são listados exames, terapias e procedimentos de forma exemplificativa.

 

Por ter esse caráter exemplificativo, o simples fato de um procedimento ou medicamento fora do rol da ANS ser prescrito não impede que o paciente exija na Justiça esse direito, bastando que tenha indicação médica para que o plano de saúde Sul América seja obrigado a pagar o ixequizumabe para o tratamento do segurado. Veja uma decisão que inclui esse tipo de entendimento da Justiça:

 

Plano de saúde. Negativa de cobertura para medicamento no tratamento de artrite psoriásica. Alegação de que se trata de medicamento não aprovado pela ANS. Recusa abusiva. Medicamento recomendado por médico especialista integrante do convênio. Plano de saúde que pode estabelecer quais doenças estão sendo cobertas, não o tipo de tratamento necessário para a cura. Ação procedente. Recurso desprovido

 

A recusa é abusiva na visão da Justiça, porque o medicamento foi recomendado por um médico especialista. E, como o plano de saúde cobre a doença, por consequência deve cobrir também os tratamentos recomendados. Sendo assim, o plano de saúde Sul América deve cobrir ixequizumabe (Taltz).

 

Como posso conseguir o ixequizumabe de forma rápida?

O conselho que o advogado Elton Fernandes sempre dá é que se procure um advogado especialista em planos de saúde e entre na Justiça.

 

“Ele [o advogado especialista em planos de saúde] poderá manejar uma ação judicial com pedido de liminar. [...]E, veja, liminares são rapidamente analisadas pela Justiça. Há casos onde em menos de 24 horas, em 48 horas, a Justiça fez a análise deste tipo de medicamento e, claro, deferiu a pacientes o fornecimento deste remédio”, explica o especialista.

 

Veja o que diz Elton Fernandes sobre a liminar neste vídeo:

 

 

Há muitos casos como esse?

Sim. De fato, ações como essa são bastante comuns e seguras do ponto de vista do beneficiário do plano de saúde. A Justiça garante que você pode exigir do plano de saúde Sul América o fornecimento do ixequizumabe prontamente.

 

“Há inúmeras decisões judiciais, há outros tantos pacientes, conseguindo esse medicamento. E, portanto, a minha dica é: lute por esse direito. Fale com um advogado especialista em ação contra plano de saúde e lute por esse direito porque você também pode conseguir isso rapidamente pelo seu plano de saúde ao invés de esperar as demoras do SUS”, esclarece Elton Fernandes.

 

Solicite que o seu médico de confiança, seja ele credenciado ou não ao plano de saúde, forneça um relatório médico detalhado, informando qual o seu quadro clínico e a necessidade do tratamento com ixequizumabe. Ao plano de saúde, caso a cobertura seja negada, exija uma justificativa formal para a recusa.

 

Em posse desses documentos, fale com um advogado especialista em ações contra planos de saúde e lute pelos seus direitos!

 

Ainda precisando de esclarecimentos sobre a obrigatoriedade da operadora Sul América em custear o ixequizumabe a tratamentos prescritos por médicos? Entre em contato com a nossa equipe e tire suas dúvidas. Estamos prontos para te atender!

 

Aqui, no escritório Elton Fernandes – Advocacia Especializada em Saúde, nossa equipe jurídica está preparada para auxiliá-lo em ações contra SUS e seguros, casos de erro médico e odontológico e na revisão dos reajustes abusivos dos planos de saúde, aplicados nas mensalidades do serviço.

 

Não importa se seu plano de saúde é Bradesco, Sul América, Unimed, Unimed Fesp, Unimed Seguros, Central Nacional, Cassi, Cabesp, Notredame, Intermédica, Allianz, Porto Seguro, Amil, Marítima Sompo, São Cristóvão, Prevent Senior, Hap Vida ou qualquer outro plano de saúde, pois todos têm obrigação de fornecer o medicamento.

 

Para falar com um dos nossos especialistas, você pode enviar um e-mail para contato@eltonfernandes.com.br. Caso prefira, ligue para (11) 3141-0440 envie uma mensagem de Whatsapp para (11) 97751-4087 ou então mande sua mensagem abaixo.

 

Siga nossas redes sociais e saiba mais sobre Direito da Saúde:

Ixequizumabe (Taltz): Sul América deve cobrir? Confira!   Facebook     Ixequizumabe (Taltz): Sul América deve cobrir? Confira! Instagram    Ixequizumabe (Taltz): Sul América deve cobrir? Confira! Youtube

Acompanhe o Dr. Elton Fernandes, especialista em ações contra planos de saúde, na imprensa:

 Elton Fernandes no programa Mulheres            Elton Fernandes no programa Santa Receita        https://www.eltonfernandes.com.br/uploads/tinymce/uploads/Radio-justica.png

Fale com a gente