Estou grávida e não tenho plano de saúde. Dá tempo de aderir a algum plano?

Estou grávida e não tenho plano de saúde. Dá tempo de aderir a algum plano?

Estou grávida e não tenho plano e saúde. Dá tempo de aderir a algum plano?

 

Advogado especialista em Direito à Saúde, Elton Fernandes, explica sobre carência do plano de saúde na gravidez. 

 

No vídeo acima o advogado especialista em plano de saúde Elton Fernandes explica que planos de saúde que possuem cobertura para obstetrícia devem custear parto, podendo incluir a criança sem carência nos 30 dias primeiros dias de vida, o que é uma vantagem se você pretende engravidar ou adotar.

 

Contudo, se você está grávida e deseja contratar um plano de saúde, é importante saber que, via de regra, a carência será de 300 para parto, contado do dia em que você assinou o contrato.

 

Ou seja, seu plano de saúde poderá não custear seu parto, o que não impede, porém, que você inclua seu fiho o sua filha neste contrato de plano de saúde SEM CÂRÊNCIA.

 

Contudo, mesmo que seu plano eventualmente não cubra a carência para o parto, pode ser uma vantagem manter um plano de saúde por 03 motivos:

Continuar Lendo

1) Em em caso de complicação médica no parto, a mulher estará assegurada com internação e todos os procedimentos médicos necessários à ela e ao bebê;

2) Se você fizer um plano com obstetrícia e incluir a criança nos 30 primeiros dias de vida não haverá qualquer carência para a criança e, caso a criança nasça com qualquer problema de saúde ou necessite cuidados médicos, você poderá ficar tranquila que não haverá carência;

3) Caso o parto seja de emergência por um risco à gestante ou à criança, neste caso estamos diante de uma situação excepcional e o plano de saúde deverá custear inclusive o parto;

 

Isto porque todo plano de saúde é obrigado a cobrir imediatamente situações de urgência e emergência após 24 horas que a pessoa tiver contratado o plano de saúde.

 

Ou seja, após 24 horas que você estiver incluída no plano de saúde, todas as despesas decorrentes de uma situação de urgência ou emergência (INCLUSIVE O PARTO, se o médico caracterizar como urgência ou emergência médica), deve ser custeado pelo plano de saúde.

 

Nos planos coletivos empresariais que possuírem mais de 30 vidas inscritas no contrato, pode ser que não haja carência. Portanto, é muito importante que a paciente se informe antes de aderir a um plano e não acredite simplesmente que "existe plano de saude sem carência para parto".

 

A exceção para que a gestante não cumpra esse período de 300 dias de carência ocorrerá apenas se o parto for de urgência ou emergência e isto deve ser declarado pelo médico da gestante.

 

Fique atenta: Se o seu corretor disser que é possível contratar um plano de saúde estando grávida, sem carências, desconfie. A carência, via de regra, só é reduzida por lei em casos de urgência ou emergência médica.

 

Essa situação seria muito menos vantajosa para o plano de saúde, o que não há nenhuma lógica, posto que as operadoras de saúde visam o lucro e dificilmente venderiam um plano de saúde assim.

 

Caso esteja diante de uma situação como essa, peça para que o corretor documente, por escrito, que não haverá carência para parto. Exija também que isto conste no contrato e guarde todas as mensagens e emails trocados com o corretor, onde constam tais promessas.

 

Tendo tudo documento, caso a promessa não se concretize, será possível processar o corretor, bem como a empresa corretora a qual ele pertence.

 

Se você possuir um plano de saúde e quiser incluir um recém-nascido no plano, é necessário que a inclusão do bebê seja solicitada dentro dos primeiros 30 dias de vida do bebê. É importante não esquecer de solicitar um documento que prove que a solicitação foi feita ao plano de saúde. a prova de que fez a solicitação para o plano de saúde.

 

Sendo incluído dentro dos 30 primeiros dias, não haverá carência ao bebê, e tudo o que ele precisar (tratamento, exame, internação), deverá ser custeado pelo plano de saúde, sem qualquer limitação de tempo ou valor.

 

E se meu plano de saúde disser que não cobrirá o parto, mesmo em situação de emergência?

Neste caso você deve procurar um advogado especialista em plano de saúde a fim de ingressar com ação judicial com pedido de liminar. A decisão em caráter liminar é uma decisão provisória e que pode garantir desde logo o direito da paciente, permitindo que a Justiça determina que o plano de saúde cubra o parto e todas as despesas no hospital.

Para saber mais sobre o que é uma decisão liminar você pode clicar aqui e terá informações mais detalhadas.

 

E se eu pagar o parto porque meu plano de saúde recusou cobrir em situação de emergência, posso recuperar este valor?

Sim, você poderá ingressar com ação judicial e buscar o ressarcimento de todos os gastos com seu parto. Peça uma cópia do seu prontuário médico, solicite que seu médico faça um bom relatório explicando a emergência e procure um advogado especialista em ação contra plano de saúde para que você possa ajuizar a ação e buscar o ressarcimento com juros e correção monetária.

 

Ficou com dúvidas? Clique aqui e mande sua mensagem ou ligue para o telefone: 11 - 3141-0440- ou pelo Whatsapp 11 - 97751-4087.

Fale com a gente