Prótese de perna deve ser fornecida pelo plano de saúde, decide Justiça

Prótese de perna deve ser fornecida pelo plano de saúde, decide Justiça

 Prótese de perna deve ser fornecida pelo plano de saúde, decide Justiça

Prótese de perna deve ser fornecida pelo plano de saúde, decide Justiça

 

Os planos de saúde não podem se recusar a custear prótese de perna, desde que haja a indicação médica, é o que tem entendido a Justiça como lembra o advogado Elton Fernandes, responsável por milhares de processos na área do Direito à Saúde.

 

Nesse sentido, confira algumas decisões proferidas pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, que garantiram aos pacientes este direito:

Continuar Lendo

 

AGRAVO DE INSTRUMENTO - PLANO DE SAÚDE – TUTELA DE URGÊNCIA – PRÓTESE EXTERNA- Inicial instruída com relatórios médicos que prescrevem a troca da prótese – Amputação no membro inferior direito em razão de complicações ocorridas durante procedimento cirúrgico de tumor maligno que recomendou a prótese – Modelo de prótese funcionalmente limitado que acarreta quedas, dores no joelho esquerdo e lombalgia - Possibilidade de desgastes irreversíveis – Presença dos requisitos do artigo 300 do CPC – Multa diária de R$2.000,00 que, diante da recalcitrância da operadora de saúde, se mostrou adequada às circunstâncias da causa - Decisão mantida – NEGARAM PROVIMENTO AO RECURSO

 

Plano de saúde. Ação declaratória cumulada com pedido de restituição de valores. Autora, idosa, que necessitava de implantação de prótese em sua perna. Negativa de cobertura de material inerente ao procedimento cirúrgico. Recusa indevida. Sentença de parcial procedência mantida (art. 252, RITJSP). Apelação desprovida.

 

PLANO DE SAÚDE Ação de obrigação de fazer Utilização de prótese importada, para ser colocada na perna esquerda da autora, por recomendação do médico por ela responsável Inexistência de exclusão, no contrato celebrado entre as partes, da cobertura de próteses importadas em atos cirúrgicos Hipótese em que as cláusulas contratuais mencionadas pela ré não tratam de situações como a presente Existência de cláusula que cobre expressamente próteses e óteses vinculadas ao procedimento cirúrgico, como no caso - Decisão mantida por seus próprios fundamentos, nos termos do art. 252 do novo Regimento Interno deste Tribunal - Recurso desprovido.

 

O advogado especialista Elton Fernandes, também professor de Direito, lembra que o médico não pode ter sua liberdade profissional limitada ou pautada por terceiros, cabendo à ele determinar as características (tipo, matéria-prima, dimensões) das órteses, próteses e materiais especiais implantáveis, bem como o instrumental compatível, necessário e adequado à execução do procedimento, conforme preceituado pelo Conselho Federal de Medicina em sua Resolução 1956/2010.

 

Ao pleitear junto a operadora de saúde que custeie a cirurgia, por exemplo, um relatório médico detalhado deve ser entregue descrevendo a necessidade do procedimento, os riscos da não realização da cirurgia, os benefícios que o procedimento poderá trazer e os detalhes técnicos da melhor prótese ao caso.

 

O paciente que possui indicação médica para uso de prótese de perna e não tiver tal direito garantido pelo plano de saúde poderá procurar este escritório de advocacia com urgência a fim de buscar tal direito na Justiça, o que pode ser garantido em 48 horas, como é de costume.

 

Restou alguma dúvida? Não hesite em nos contatar, estamos sempre disponíveis através do telefone 3251-4099, ou pelo Whatsapp (11) 97751-4087.

Fale com a gente