Prolia (denosumabe) pelo plano de saúde: conheça seu direito!

Prolia (denosumabe) pelo plano de saúde: conheça seu direito!

 

Os tribunais de Justiça têm determinado a cobertura de Prolia (denosumabe) pelos planos de saúde, mediante prescrição médica, uma vez que o medicamento possui registro sanitário no país pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

 

“Diz a lei que, sempre que um remédio tiver registro sanitário na Anvisa, o plano de saúde é obrigado a fornecer o tratamento a você, mesmo fora do rol da ANS”, detalha o advogado Elton Fernandes, especialista em Direito da Saúde.

 

  • Como a Justiça se posiciona sobre a cobertura do medicamento?
  • O que fazer caso o plano negue a cobertura do medicamento?
  • É possível ter acesso ao Prolia pelo SUS? O que fazer nesse caso?

 

Se você necessita da cobertura do medicamento Prolia 60 mg, que é indicado para o tratamento de osteoporose, perda óssea em casos de câncer de próstata ou mama, entre outras, continue a leitura deste artigo e acompanhe as explicações do advogado especialista em plano de saúde e liminares Elton Fernandes!

Continuar Lendo

 

Como a Justiça se posiciona sobre a cobertura do medicamento Prolia pelo plano de saúde?

A Justiça é favorável a cobertura de Prolia (denosumabe) pelos planos de saúde, uma vez que a Lei determina a cobertura de todos os medicamentos que são registrados no país pela Anvisa, que controla a produção de produtos e serviços.

 

”Não nos importa que o Rol de Procedimentos da ANS  não contempla o medicamento que você precisa. Tampouco é relevante se o medicamento que você precisa por exemplo não estiver indicado em bula para a sua doença. Ou seja, seu médico deve lhe fazer a recomendação que ele achar melhor ao seu caso”, enfatiza o advogado
Elton Fernandes.

 

Apenas o médico de confiança do paciente está qualificado para indicar qual a opção de tratamento mais adequada para cada paciente. O plano de saúde NÃO PODE interferir na prescrição médica, em nenhuma hipótese, ainda que seja para um medicamento fora do rol da ANS.

 

Lembre-se: o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e suas Diretrizes de Utilização Técnica representam o MÍNIMO que os planos de saúde são obrigados a fornecer aos segurados.

 

É possível encontrar casos onde os planos de saúde foram obrigados a custear o medicamento Prolia?

Sim, há inúmeras decisões judiciais que já determinaram a cobertura de Prolia (denosumabe) pelos planos de saúde. Acompanhe, abaixo, algumas dessas decisões judiciais que foram favoráveis aos consumidores! 

 

PLANO DE SAÚDE. NEGATIVA DE COBERTURA. TRATAMENTO ONCOLÓGICO. ABUSIVIDADE. REEMBOLSO DE DESPESAS. PRESCRIÇÃO DECENAL. Insurgência das partes em face da sentença de parcial procedência. Reembolso de despesas médicas. Magistrado de origem que reconheceu a prescrição anual. Modificação. Inaplicabilidade da prescrição ânua (artigo 206, §1º, II, b). Incidência do prazo decenal, previsto no artigo 205 do Código Civil. Precedentes do STJ. Exclusão de cobertura. Matéria devolvida ao tribunal que diz respeito à cobertura (integral ou parcial) dos medicamentos Granulokine e Prolia e do exame PET-Scan. Negativa de cobertura que se mostra abusiva. Contrato de plano de saúde antigo que se submete à Lei 9.656/98 e também às disposições do CDC. Determinação médica indicando a necessidade de utilização dos medicamentos e do exame. Não incumbe ao plano de saúde dizer qual deve ser o tratamento mais adequado. Irrelevância de os medicamentos e o exame estarem em fase experimental ou de não estarem previstos no rol da ANS. Doença que se encontra cobertura pelo contrato. Aplicação das Súmulas 95, 96 e 102 do TJSP. Pedido da ré de ser condenada ao reembolso parcial de despesas, nos termos do contrato. Não acolhimento. Inviável a limitação dos valores de reembolso se não há informação clara a seu respeito no contrato (art. 6º, III, CDC). Ré que não juntou a tabela de valores referida no contrato, nem demonstrou a forma de cálculo do reembolso. Condenação da ré ao custeio integral das despesas médicas dos medicamentos Granulokine e Prolia e do exame PET-Scan, observando-se o prazo prescricional decenal. Sucumbência da ré mantida. Recurso da autora provido e recurso da ré desprovido.

 

Apelação Cível – Plano de Saúde – Tratamento de neoplasia maligna de mama e de osteoporose – Correta a determinação de compelir a operadora de plano de saúde a custear o tratamento médico da autora com a droga Denosumabe (Prolia) – Abusiva glosa da seguradora em custear o medicamento, sob a alegação de ser tratamento experimental – Dever da ré de custear o medicamento prescrito pela médica especialista que assiste a paciente – Tratamento que se mostra indispensável para garantir o prolongamento ou mesmo as chances de vida da paciente – Aplicação das regras do CDC – Predominância do direito à vida sobre cláusulas contratuais que se apresentam como abusivas ao fim social do contrato. Recurso desprovido.

 

Nos casos acima, a Justiça considera como irrelevantes o fato de ser um medicamento fora do rol da ANS indicado para um tratamento off label (sem previsão na bula). O plano de saúde não pode interferir na prescrição do tratamento.

 

O que fazer para mover uma ação contra o plano de saúde?

Quando a cobertura de um medicamento como o Prolia (denosumabe) pelos planos de saúde é negada, é possível mover uma ação judicial com pedido de liminar. Para que isso seja possível, tenha em mãos a negativa de cobertura e a prescrição médica.

 

“Se o seu plano de saúde negou este medicamento a você, a primeira coisa que você deve providenciar é solicitar que o seu plano de saúde envie por escrito a razão da negativa, [...] A segunda coisa que você deve providenciar então é pedir que seu médico faça um relatório clínico minucioso sobre o seu caso”, ressalta o advogado
Elton Fernandes.

 

Considerando o direito do paciente e a urgência do caso, a liminar pode ser analisada rapidamente e, desse modo, determinar a cobertura do medicamento em poucos dias, antes mesmo de o processo ser finalizado.

 

“Liminares são rapidamente analisadas pela Justiça: há casos em que em menos de 48 horas foi feita a análise deste tipo de medicamento e, claro, deferiu a pacientes o fornecimento deste remédio”, explica o advogado Elton Fernandes.

 

Saiba mais detalhes sobre o que é liminar e o que acontece depois da análise da liminar assistindo ao vídeo abaixo:

 

 

Caso você necessite do medicamento Prolia pelo SUS (Sistema Único de Saúde), saiba que existem alguns critérios que devem ser preenchidos, além do registro sanitário pela Anvisa. São eles:

 

  • paciente e/ou familiares devem comprovar que não possuem condições financeiras de custear por conta própria o medicamento;

  • o relatório médico deve apontar que não existe outro medicamento, fornecido pelo SUS, que apresente a mesma indicação e os mesmos resultados.

 

Caso o fornecimento ainda assim seja negado, com o auxílio de um advogado especialista em SUS você poderá ingressar com uma ação judicial para garantir seu acesso ao medicamento prescrito o quanto antes.

 

Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Entre em contato com um advogado especialista em Direito da Saúde, pois esse profissional conhece bem a legislação do setor e está preparado para orientá-lo durante todo o processo!

Consulte um especialista em caso de dúvidas

O escritório Elton Fernandes – Advocacia Especializada em Saúde atua na defesa dos direitos dos pacientes e consumidores, atendendo casos de erro médico ou odontológico, ações contra planos de saúde, SUS, seguradoras, casos de reajuste abusivo no plano de saúde, entre outros.

 

Não importa se seu plano de saúde é Bradesco, Sul América, Unimed, Unimed Fesp, Unimed Seguros, Central Nacional, Cassi, Cabesp, Notredame, Intermédica, Allianz, Porto Seguro, Amil, Marítima Sompo, São Cristóvão, Prevent Senior, Hap Vida ou qualquer outro plano de saúde, pois todos têm obrigação de fornecer o medicamento.

 

Para falar com um dos nossos especialistas, você pode enviar um e-mail para [email protected]. Caso prefira, ligue para (11) 3141-0440 envie uma mensagem de Whatsapp para (11) 97751-4087 ou então mande sua mensagem abaixo.

 

Siga nossas redes sociais e saiba mais sobre Direito da Saúde:

Lonsurf coberto pela Bradesco Saúde? Veja agora!   Facebook     Lonsurf coberto pela Bradesco Saúde? Veja agora! Instagram    Lonsurf coberto pela Bradesco Saúde? Veja agora! Youtube

Acompanhe o Dr. Elton Fernandes, especialista em ações contra planos de saúde, na imprensa:

 Clique e acompanhe Elton Fernandes no programa Mulheres            Clique e acompanhe Elton Fernandes no programa Santa Receita        Clique e acompanhe Elton Fernandes na Rádio Justiça

Fale com a gente