Denosumabe (Prolia®): plano de saúde Amil deve custear medicação

Denosumabe (Prolia®): plano de saúde Amil deve custear medicação

Se você tem dúvidas se o plano de saúde Amil deve cobrir o medicamento Prolia® /mL, veja agora como há muitos meios para obter na Justiça o fornecimento, mesmo que o convênio tenha recusado.

 

RESUMO DA NOTÍCIA:

 

 

Prolia® é o nome comercial do denosumabe e é comercializado na dosagem de 60 mg/ml. Entenda agora como obter o custeio integral desse medicamento.

 

O preço do Prolia® pode inviabilizar a cobertura pela Ami? Em quais casos o medicamento é recomendado

Caso você pesquise o preço do Prolia® (denosumabe), verá que o remédio pode chegar a R$1.100,00. Para muitos, é um medicamento de alto custo. Mas, é importante esclarecer que o custo de um tratamento não pode ser empecilho para que seja custeado pelo plano de saúde.

 

A bula indicado o Prolia® para casos de Osteoporose em homens e em mulheres na fase de pós-menopausa, perda óssea em pacientes submetidos a tratamentos de câncer de próstata ou de mama com diminuição hormonal, Osteoporose associada à terapia sistêmica com glicocorticoides.

 

Assim como o preço do medicamento, a sua indicação de uso também não pode ser utilizada para que o fornecimento seja negado. Ainda que seja indicado em um tratamento off label (fora da bula), denosumabe deve ser custeado pela Amil.

 

O que a Amil aponta para negar o denosumabe?

A Amil justifica que o medicamento não está no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e suas Diretrizes Técnicas ou que é de uso off label.

 

Porém, essas razões utilizadas pelo plano são consideradas ilegais e abusivas, porque o fornecimento do denosumabe pela Amil (ou por qualquer plano de saúde no país) é previsto em Lei. Como a Lei é soberana, o Rol da ANS e suas Diretrizes são inferiores a ela.

 

O que diz a Justiça sobre o custeio do Prolia® pela Amil?

A Lei garante que o plano de saúde Amil deve fornecer o denosumabe porque a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já registrou o uso do medicamento no país. Desse modo, a decisão da Justiça costuma ser favorável.

 

Apelação cível. Plano de saúde. Cobertura. Medicamento para osteoporose. PROLIA (desonumabe). Sentença de procedência. Contrato que deve ser interpretado em favor do consumidor. Cláusula que limita tratamento prescrito pelo médico que acompanha o paciente fere a boa-fé objetiva e desnatura a própria finalidade do contrato. Se a doença tem cobertura contratual, os tratamentos disponíveis pelo avanço da medicina também terão. Aplicação da Súmula 96 desta Corte de Justiça. Havendo expressa indicação médica, é abusiva a negativa de cobertura e custeio de tratamento sob o argumento de natureza experimental ou por não estar previsto no rol de procedimentos da ANS. Interpretação da Súmula 102 desta Corte. Reembolso integral. Havendo cobertura, ré deve indicar profissionais para atendimento, sob pena de ter de reembolsar integralmente despesas com profissionais livremente escolhidos. Apelação não provida.

 

Nesse caso, a “havendo expressa indicação médica, é abusiva a negativa de cobertura e custeio de tratamento sob o argumento de natureza experimental ou por não estar previsto no rol de procedimentos da ANS”.

 

O que fazer para obter a cobertura?

Para assegurar acesso rápido ao denosumabe pelo plano de saúde Amil, o tribunal desconsidera as justificativas que o plano de saúde utilizou para negar a medicação, e um dos pré-requisitos é a indicação médica.

 

É preciso ter em mãos a negativa de cobertura, solicitar que o médico prepare um bom relatório clínico detalhando as razões que o levaram à escolha desse remédio, assim como os riscos que você corre pela sua falta e consultar um advogado especialista em plano de saúde.

 

Em casos urgentes, a ação judicial pode ser movida com um pedido de liminar para garantir rapidamente a cobertura. A liminar antecipa uma decisão judicial que determinaria que o denosumabe fosse fornecido pela Amil apenas ao final da ação.

Fale agora com um advogado especialista em Direito da Saúde. A equipe jurídica do escritório Elton Fernandes – Advocacia Especializada em Saúde possui experiência em ações como essa, além de casos de  reajuste abusivo, erro médico ou odontológico, entre outros.

 

Não importa se o seu plano de saúde é Bradesco, Sul América, Unimed, Unimed Fesp, Unimed Seguros, Central Nacional, Cassi, Cabesp, Notredame, Intermédica, Allianz, Porto Seguro, Amil, Marítima Sompo, São Cristóvão, Prevent Senior, Hap Vida ou qualquer outro.

 

Se você busca um advogado virtual ou prefere uma reunião presencial, consulte a nossa equipe, você pode enviar um e-mail para [email protected]. Caso prefira, ligue para (11) 3141-0440 envie uma mensagem de Whatsapp para (11) 97751-4087 ou então mande sua mensagem abaixo.

 

Siga nossas redes sociais e saiba mais sobre Direito da Saúde:

 

Lonsurf coberto pela Bradesco Saúde? Veja agora!   Facebook     Lonsurf coberto pela Bradesco Saúde? Veja agora! Instagram    Lonsurf coberto pela Bradesco Saúde? Veja agora! Youtube

 

Acompanhe o Dr. Elton Fernandes, advogado especialista em ações contra planos de saúde, na imprensa:

 

 Clique e acompanhe Elton Fernandes no programa Mulheres            Clique e acompanhe Elton Fernandes no programa Santa Receita        Clique e acompanhe Elton Fernandes na Rádio Justiça

Fale com a gente