Elaprase: para que serve, contraindicações e preço

Elaprase: para que serve, contraindicações e preço

Frascos do medicamento Elaprase

O Elaprase é um medicamento de alto custo utilizado no tratamento de doenças associadas à disfunção ou ausência da enzima iduronato-2-sulfatase, um quadro de saúde raro conhecido como Síndrome de Hunter.

Apesar de recente, este medicamento apresenta indicação de órgãos de saúde e estudos clínicos acerca de sua eficácia. No entanto, tendo em vista seu alto valor unitário, os pacientes recorrentemente dependem do acesso via SUS ou plano de saúde.

Em certo cenário é possível que o fornecimento deste medicamento seja interrompido, demandando o auxílio e assessoria qualificada de advogados especializados em Direito à Saúde, de modo que o tratamento seja iniciado ou continuado.

Neste artigo exclusivo, o Dr. Elton Fernandes explica tudo sobre o Elaprase, desde seu funcionamento até como conseguir o fornecimento tanto pela rede suplementar quanto pelo SUS.

Continue no artigo e tenha uma ótima leitura!

Para que serve Elaprase?

Elaprase é o nome comercial da idursulfase, uma terapia de substituição enzimática empregada no tratamento de uma doença genética conhecida como síndrome de Hunter ou mucopolissacaridose tipo II (MPS II).

Esta condição é causada pela atividade deficiente ou ausência da enzima iduronato-2-sulfatase, essencial para a degradação adequada de glicosaminoglicanos (GAGs), moléculas complexas envolvidas em numerosas funções biológicas.

Na síndrome de Hunter, a ausência ou o mau funcionamento dessa enzima gera o acúmulo dessas substâncias nos tecidos do corpo. Desse modo, provoca diversos sintomas que, infelizmente, podem afetar gravemente a qualidade e a expectativa de vida dos pacientes.

Este medicamento é injetado diretamente na corrente sanguínea, geralmente por meio de infusões semanais. Assim, a terapia apresenta o potencial de diminuir ou impedir o desenvolvimento dos danos causados pela síndrome de Hunter.

Por exemplo, melhorando a função respiratória e a mobilidade, assim como atenuando outros sintomas associados, como a rigidez articular e o tamanho exacerbado do fígado e baço.

Contudo, não é uma cura, pois não resolve as causas genéticas da condição nem reverte integralmente os danos já ocasionados.

O uso de Elaprase é significativo, pois atende a uma necessidade clínica desprovida de alternativas simples, proporcionando aos pacientes com MPS II uma oportunidade de manejar melhor sua condição.

A terapia foi amplamente estudada e aprovada com base na evidência de que melhora certas medidas clínicas e de qualidade de vida, tornando-se um aspecto central da gestão contemporânea da síndrome de Hunter.

Qual a sua composição?

Este medicamento possui como princípio ativo a idursulfase, presente na concentração de 2,0 mg por mL de solução, perfazendo um total de 6,0 mg em cada frasco-ampola.

Além disso, a composição inclui diversos excipientes que permitem a estabilidade e administração segura da substância:

  • cloreto de sódio e polissorbato 20, responsáveis pela manutenção do equilíbrio osmótico e estabilização da mistura, respectivamente;
  • fosfato dibásico de sódio heptahidratado e fosfato monobásico de sódio monoidratado, que ajudam a manter o pH adequado da solução;
  • água para injeção, que serve como diluente.

Produção do medicamento Elaprase

Para quem esse medicamento não é recomendado?

A administração do Elaprase não é recomendada para indivíduos que possuem hipersensibilidade conhecida à idursulfase ou a qualquer um dos elementos presentes na formulação do medicamento.

As reações de hipersensibilidade podem variar em gravidade e incluem anafilaxia, que é uma resposta alérgica intensa e potencialmente fatal.

Além disso, a idursulfase não foi suficientemente estudada em crianças com idade inferior a 5 anos, e, por conseguinte, a segurança e eficácia do Elaprase ainda não foram estabelecidas para essa faixa etária.

Como Elaprase deve ser administrado?

Este medicamento deve ser administrado por um profissional de saúde qualificado, adotando método intravenoso, como dose pré-calculada conforme as características fisiológicas do paciente.

Desse modo, o profissional responsável realiza a diluição do Elaprase em solução de 0,9% de cloreto de sódio, preparando o medicamento de maneira correta para a sua administração.

Caso a dose calculada resulte ainda em uma quantidade do medicamento no frasco, deve ser armazenado em geladeira, em temperatura controlada entre 2°C e 8°C, de modo que seja preservado e mantido a sua integridade.

Portanto, o medicamento deve ser administrado, única e exclusivamente, por profissional de saúde qualificado. Em caso de dúvidas, procure seu médico ou médica de confiança.

Qual é a dose recomendada desse remédio?

A dosagem recomendada para o Elaprase é de 0,5 mg por peso corpóreo. A posologia recomendada é definida como uma dose diária, sendo administrada, em seu volume total, em período de 1 a 3 horas, conforme a avaliação e recomendação médica.

Para mais informações, consulte o médico ou médica responsável e siga as orientações apresentadas.

Reações adversas e efeitos colaterais

Apesar de seguro e recomendado, o Elaprase representa um tratamento recente. Desse modo, as reações adversas e efeitos colaterais mapeados em estudos clínicos podem, também, apresentar outros sintomas ou quadros associados.

De acordo com fabricantes, este medicamento pode apresentar como reação adversa:

  • Reações alérgicas
  • Reações anafilática
  • Dor nas articulações
  • Queda nos níveis de oxigênio
  • Alteração do ritmo cardíaco
  • Embolismo pulmonar
  • Cianose

Qual o preço do Elaprase?

A despeito das flutuações convencionais de mercado, o Elaprase é comercializado no Brasil com preços próximos aos R$14.000.

O valor unitário alto, associado à posologia recomendável, implica em possíveis barreiras à aquisição e desenvolvimento do tratamento adequado. Por este aspecto, muitos pacientes dependem do acesso e fornecimento pelo SUS ou pelo plano de saúde.

Confira a seguir um passo a passo de como conseguir este medicamento tanto pela rede privada quanto pública de saúde.

Como conseguir o Elaprase pelo plano de saúde ou SUS?

O Elaprase é uma terapia de substituição enzimática essencial no tratamento da síndrome de Hunter (MPS II) e, como tal, ter acesso a ele é primordial para a manutenção da saúde dos pacientes afetados por esta condição.

O fornecimento deste medicamento, assim como outros medicamentos, pode enfrentar obstáculos e ser negado ou cessado, tanto pela rede de saúde privada quanto pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Considerando que o atendimento à saúde é legalmente definido como um direito individual, em tais ocasiões de inacessibilidade aos medicamentos, torna-se imperativo perscrutar via negociação ou recorrer à ação judicial para assegurar o recebimento do fármaco.

Confira a seguir um passo a passo para obtenção do Elaprase pelo plano de saúde ou pelo SUS!

Advogado analisando acesso e fornecimento de Elaprase

Plano de saúde

Para adquirir medicamentos como Elaprase através de um plano de saúde, é primordial que estejam formalmente registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), garantindo a cobertura pelo plano.

Se ocorrer uma negativa de cobertura pelo plano, o paciente e familiares podem iniciar o processo de negociação com a operadora de saúde, apresentando um relatório detalhado elaborado pelo médico especialista sobre a necessidade do medicamento.

Caso persista a negação, é aconselhável buscar assistência jurídica em Direito à Saúde para avaliar e mover eventual ação e conquistar o direito ao tratamento.

SUS

Para conseguir o Elaprase diretamente pelo SUS, primeiramente é necessário que este conste na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME) ou nos protocolos do próprio SUS.

Com uma receita e a devida identificação pessoal, o solicitante deve se dirigir à unidade de saúde ou farmácia do SUS mais próxima.

Se for enfrentada resistência no fornecimento deste medicamento, o paciente tem o recurso de procurar consultoria jurídica em direito sanitário.

Em circunstâncias mais desafiadoras, pode-se requerer ação judicial para impor o cumprimento do acesso à saúde devidamente assegurado por lei.

Caso o fornecimento do Elaprase tenha sido negado, entre em contato com o Dr. Elton Fernandes! Agende uma consulta e garanta o seu direito de acesso e uso a medicamentos!

Elaprase garantido por meio de auxílio de advogados especializados em Direiro à Saúde

Conclusão

Neste artigo exclusivo, você aprendeu sobre a indicação, composição, posologia, preços e como conseguir o Elaprase pelo Sistema Único de Saúde ou pela rede suplementar de saúde privada.

Como vimos ao longo do artigo, este medicamento é utilizado no tratamento de uma doença rara associada à atividade deficiente ou ausência da enzima iduronato-2-sulfatase, impactando severamente a qualidade de vida de indivíduos com essa condição.

Atualmente, este medicamento é comercializado no Brasil em solução injetável de 3 ml ao valor médio de R$14.000,00. Aspecto que, sem embargo, influi na correta condução do tratamento.

Caso o acesso ou fornecimento deste medicamento seja negado pelo plano de saúde ou pelo SUS, entre em contato com o Dr. Elton Fernandes e sua equipe de advogados especializados em Direito à Saúde.

Conte com o auxílio de especialistas com um histórico de sucesso em mais de 7.000 ações judiciais em todo o território nacional. Entre em contato com nosso time de atendimento e agende uma consulta!

Consulte um advogado e tire suas dúvidas

A equipe do escritório Elton Fernandes – Advocacia Especializada em Saúde presta assessoria jurídica online e presencial nos segmentos do Direito à Saúde e do Consumidor.

Nossos especialistas estão preparados para orientá-lo em casos envolvendo erro médico ou odontológico, reajuste abusivo no plano de saúde, cobertura de medicamentos, exames, cirurgias, entre outros.

Não importa se seu plano de saúde é Bradesco, Sul América, Unimed, Unimed Fesp, Unimed Seguros, Central Nacional, Cassi, Cabesp, Notredame, Intermédica, Allianz, Porto Seguro, Amil, Marítima Sompo, São Cristóvão, Prevent Senior, Hap Vida ou qualquer outro plano de saúde.

Se você busca um advogado virtual ou prefere uma reunião presencial, consulte a nossa equipe, você pode enviar um e-mail para [email protected]. Caso prefira, ligue para (11) 3141-0440 envie uma mensagem de Whatsapp para (11) 97751-4087 ou então mande sua mensagem abaixo.

Siga nossas redes sociais e saiba mais sobre Direito da Saúde:

Lonsurf coberto pela Bradesco Saúde? Veja agora!   Facebook     Lonsurf coberto pela Bradesco Saúde? Veja agora! Instagram    Lonsurf coberto pela Bradesco Saúde? Veja agora! Youtube

Acompanhe o Dr. Elton Fernandes, especialista em ações contra planos de saúde, na imprensa:

 Clique e acompanhe Elton Fernandes no programa Mulheres            Clique e acompanhe Elton Fernandes no programa Santa Receita        Clique e acompanhe Elton Fernandes na Rádio Justiça

 

Fale com a gente