ABET - Cancelamento do Plano de saúde deve ser revisto na Justiça

ABET - Cancelamento do Plano de saúde deve ser revisto na Justiça

cancelamento do plano abet

ABET comunica o cancelamento do plano de saúde a todos - Como ficam as pessoas que estão em tratamento?

 

E o direito à portabilidade?

 

O plano de saúde ABET comunicou o cancelamento do plano de saúde de todos os beneficiários com contrato, deixando à mercê da própria sorte mais de 2.000 pessoas, a maioria idosos, pessoas doentes, internadas e em tratamento médico.

 

O advogado especialista em plano de saúde Elton Fernandes lembra que todos os pacientes, estando ou não em tratamento, podem garantir o direito à portabilidade do plano de saúde para outras empresas e que estas não podem se recusar a receber tais clientes.

 

"A ANS não fez sua parte, não fiscalizou de forma adequada e nem adotou as providências para proteger estas pessoas que agora, deverão buscar no Poder Judiciário o socorro necessário para evitar uma tragédia ainda maior sobre suas vidas. Temos clientes que estão em tratamento para o câncer, como podem simplesmente cancelar o contrato? Todos os clientes tem direito à portabilidade, de forma que contratem um novo plano de saúde sem qualquer carência", lembra nosso advogado.

 

O advogado Elton Fernandes explica que o fato da ABET ter deixado de operar no mercado de planos de saúde não impede que a Justiça determine a manutenção dos contratos daqueles que estão doentes e em tratamento médico, até eventual alta clínica, mas que é mais seguro que cada paciente faça a portabilidade e que, se o plano de saúde de destino não aceitar, que tais pacientes entrem na Justiça.

 

Ou seja, para o advogado, na prática, cada consumidor precisará mover sua ação judicial a fim de buscar que a Justiça garanta tratamentos e um plano de saúde em carências.

 

Este tipo de ação judicial deverá ser proposta com pedido de liminar, que a lei hoje reconhece como Tutela Antecipada de Urgência, o que poderá fazer com que, via ordem judicial, em poucos dias o contrato seja reativado ou, para quem agir imediamente, buscando impedir a rescisão e determinando a continuidade do contrato.

 

A análise do pedido de liminar leva poucos dias, de forma que em pouco tempo é possível ter uma resposta sobre o pedido feito junto à Justiça.

 

Ficou com dúvidas? Agende reunião com nossos especialistas pelo telefone 11 - 3141-0440 ou pelo Whatsapp 11 - 9.77514087.

Fale com a gente