A importância da campanha do  Novembro Azul

A importância da campanha do Novembro Azul

 A conscientização sobre o câncer de próstata é essencial para combater os altos índices da doença

  O novembro azul é tão importante quanto o outubro rosa

 

 Resumo da notícia:

  • Os planos de saúde são obrigados a fornecer tratamentos contra câncer de próstata; 
  • Qualquer tipo de tratamento contra câncer de próstata é obrigatório em um convênio médico;
  • A Justiça costuma se pocisionar favoravelmente aos consumidores, obrigando os planos de saúde à fornecer o tratamento contra câncer de próstata. 
  • O fato do tratamento não estar no rol da ANS não significa que o plano de saúde não é obrigado a cobrir o tratamento.

 

O novembro azul é um movimento mundial que ocorre em novembro visando destacar a importância da prevenção e diagnóstico do câncer de próstata. 

Segundo estudos do INCA (Instituto nacional do câncer) o câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais comum entre homens no país, estimativas indicam que serão mais de 68 mil novos casos da doença. 

 A importância de destacar esse tema é essencial, a taxa de mortalidade envolvendo o câncer de próstata chegam a níveis gigantescos. Por dia, ocorrem cerca de 42 óbitos por decorrência da doença. 

Em princípio nacional e internacional, a ocorrência desse caso só vem agravando no decorrer dos anos, dados afirmam que, essa patologia é segunda maior causadora de óbitos no mundo, sendo a mais comum entre os homens. 

A data comemorativa foi criada em 2003, na Austrália, sendo intitulada de “Movember” com base no dia Mundial do Combate do Câncer de Próstata em de 17 de novembro. 

Já em âmbito nacional, o movimento foi criado a partir do Instituto Lado a Lado pela Vida, com o princípio de fazer uma ruptura no preconceito masculino envolvendo o tema. A partir de 2014, houve o avanço na tratativa da data, o instituto realizou diversas ações por todo o país, iluminando pontos turísticos como, no Cristo Redentor, Congresso Nacional, Monumento ás bandeiras e dentre outros. A ação também foi amplificada com participação em estádios de futebol, autódromos, intervenção em eventos culturais e até pedágios nas estradas. 

A manifestação por meio do uso do “Bigode” representa o logo da causa, onde estampa a capa de debates e diálogos envolvendo o tema. 

 

Por que as mulheres se cuidam mais que os homens? 

 A partir das campanhas realizadas por todo o mundo, o outubro rosa, campanha dedicada a conscientização voltada a prevenção ao câncer de mama, é uma data tão importante quanto o Novembro Azul, porém, a tratativa em ambos os casos são o oposto de cada uma. 

Números indicam que as mulheres vivem mais do que os homens, até mesmo em âmbito mundial, nos últimos 100 anos, estimativas indicam a comprovação deste argumento. 

Nacionalmente, a expectativa de vida dos homens é de 72,5 anos em 2017, as mulheres tem 8 ANOS de expectativa diferente do que os homens, com um total de 79,6 anos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

O tabu referente ao cuidado masculino sobre a saúde, é mantido ano após ano, o Ministério da Saúde indica que mais de um terço dos homens não cuida da própria saúde. Pesquisas realizadas recentemente, apontam que, a consulta remota ao urologista é de 37% dos entrevistados, porém 59% não costumam manter consultas periódicas, segundo dados do Um Novo Olhar para a Saúde do Homem.  

 A pesquisa realizada pelo Centro de Referência em Saúde do Homem, apresenta a comprovação de que as mulheres tem um autocuidado maior que os homens, apontando que 50% dos homens só procuram um especialista médico, quando a doença já está em um estado avançado. 

 

Qual a média de idade de diagnóstico da doença? 

 Gradualmente o risco aumenta após os 50 anos de idade, sendo fator primordial em 40% dos tumores nessa faixa etária, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). 

A importância do diagnóstico da doença é essencial, a partir do diagnóstico prematuro, os casos da doença podem ser tratados e curados em 90% dos casos. Sendo necessário um acompanhamento período em todo homem a partir dos 50 anos, caso tenha reincidência familiar de algum tipo de câncer próstata na família, o número se reduz para os 45 anos de idade. 

 

Como posso detectar a doença? Quais os sintomas? 

 O modo de como a doença se propaga é silenciosa, na maioria dos casos não há sintomas. Quando a doença se manifesta, já está num grau elevado de complexidade, podendo provocar o crescimento benigno da próstata, dificuldade de urinar ou também a necessidade de urinar diversas vezes ao longo do dia. Casos mais avançados apresentar dor óssea, infecção generalizada ou insuficiência renal. 

 Atualmente, com o avanço das tecnologias, o diagnostico tem a probabilidade maior de diagnosticar a doença logo no início da patologia. A partir de 2015, a possibilidade de tratar de outro modo, com processos de análises com melhores chances de combater a doença, solucionando cerca de até 72% dos tratamentos.

 

                                                                                                       Continuar Lendo

 

Quais são os exames de rotina que é recomendável fazer? 

 Os exames indicados para sempre manter um padrão positivo da sua saúde, é sempre verificar a pressão arterial, teste de glicemia para prevenção de diabetes, sempre manter a carteira de vacina atualizada, sempre verificar o perímetro abdominal e teste de IMC. Esses exames são essenciais não só para combater o câncer de próstata quanto para manter sua saúde sempre positiva. 

 

Os Planos de Saúde e o SUS são obrigados a fornecer remédios para o tratamento contra o câncer de próstata? 

 Sim, tanto os Planos de Saúde quanto o SUS, fornecem remédios para tratar a doença. O princípio de tratamento é iniciado por terapia hormonal, seguida por quimioterapia, ambos os procedimentos são ofertados pelas operadoras de saúde e pelo SUS, sendo um procedimento padrão em ambos os. Geralmente no início do procedimento, apesar de poder ser moderada a eficácia do tratamento, após um tempo a doença pode voltar a evoluir para esses casos, a abiraterona poderá ser incluída como mais uma alternativa para controle do tumor. 

 

Quais hipóteses o câncer é considerado uma doença preexistente? 

Para a contratação de um plano de saúde, o advogado especialista em Direito da Saúde, Elton Fernandes explica que doença preexistente é aquela doença ou lesão que o paciente, no momento da contratação do plano de saúde, tem ciência de sua existência. 

É preciso que o consumidor tenha ciência da doença. Veja o vídeo a seguir, e saiba tudo sobre o tema:

 

                                                        

 

E se o câncer foi curado, ele é considerado como doença preexistente? 

 Se o paciente curou o câncer e não está mais em controle clínico para a doença, não pode ser considerado como doença preexistente já que o fato de ter tido a doença um dia, não significa que o plano de saúde possa se eximir da cobertura da doença. 

Assim, salvo naqueles casos muito recentes onde o paciente terminou o tratamento, mas o médico não pode ter a segurança de que o câncer está curado, o fim do tratamento deve ser considerado como o encerramento da doença e não deve ser tratado como doença preexistente. 

Portanto, o diagnóstico médico é essencial para possibilitar a procedência do processo. 

 

O plano de saúde pode impedir um portador de câncer a contratar um plano? 

 Conforme a regra da ANS (Agência Nacional de Saúde), a carência para caso de doença preexistente é de 02 anos, portanto, o plano de saúde deverá lhe aceitar, mas poderá exigir uma carência de até 02 anos. 
 

A partir dos primeiros 24 meses, após a contratação, o paciente tem o direito à cobertura parcial temporária. A cobertura se restringe aos procedimentos de baixa complexidade como por exemplo, consultas, eletrocardiograma, raio-x simples (sem a utilização do contrates) e exames laboratoriais (exceto imunologia e hormônios).  

Os procedimentos de alta complexidade, como por exemplo a quimioterapia, tomografia computadorizada, ressonância magnética, UTI ou CTI, cirurgias decorrentes do câncer só terão cobertura após decorridos o prazo de 2 anos em caso onde o paciente entre no plano de saúde ciente da doença. 

 

O que faço se o plano de saúde recusar a minha contratação? 

 Primeiramente procure reclamar na ANS (Agência Nacional de Saúde). Entretanto, como o órgão regulador não consegue resolver toda a demanda de reclamações e nem sempre de fato ajuda os consumidor, muitos pacientes terminam por ficar sem resposta adequada e, desta forma, o escritório especializado em saúde Elton Fernandes, explica que o consumidor poderá ingressar com ação judicial solicitando o amparo do Poder Judiciário e a determinação de aceitação pelo plano de saúde. 

 

Como funciona a ação judicial? 

 A ação judicial é elaborada com um pedido de liminar para buscar obrigar o plano de saúde a cobrir o tratamento prescrito pelo médico do paciente imediatamente. desta forma a liminar será analisada no início do processo e, se deferida poderá permitir o tratamento do paciente desde logo, enquanto o processo tramita. Normalmente a liminar é analisada em até 48 horas podendo sofrer algumas alterações em cidades mais afastadas das metrópoles. 

 

Ficou com mais dúvidas sobre o que é uma liminar, clique aqui e saiba mais sobre o seu direito! 

  

Quais documentos são necessários para ingressar com ação judicial? 

Depende muito do caso, mas via de regra são necessários documentos que sustentam o caso como por exemplo a oferta do plano de saúde, as propostas de contratação ou até mesmo o contrato se o caso, os valores da mensalidade, números de protocolos, gravações de conversas com a negativa de venda, as coberturas e quaisquer outros documentos que comprovam a abusividade e ilegalidade da operadora de saúde.  

  

Para você ingressar com ação judicial precisará de um advogado especialista em Direito da Saúde. 

O escritório Elton Fernandes fica localizado na região de São Paulo, entretanto, o escritório move ações judicias em todo território nacional, possuindo também parcerias em todo o Brasil. 

 

Entre em contato com o nosso escritório

 

Siga nossas redes sociais e saiba mais sobre Direito da Saúde:

A importância da campanha do  Novembro Azul   Facebook     A importância da campanha do  Novembro Azul Instagram    A importância da campanha do  Novembro Azul Youtube

Acompanhe o Dr. Elton Fernandes, especialista em ações contra planos de saúde, na imprensa:

 Elton Fernandes no programa Mulheres            Elton Fernandes no programa Santa Receita        https://www.eltonfernandes.com.br/uploads/tinymce/uploads/Radio-justica.png

Fale com a gente