Invanz - antibiótico deve ser custeado pelo plano de saúde

Invanz - antibiótico deve ser custeado pelo plano de saúde

 Invanz - antibiótico deve ser custeado pelo plano de saúde

 

O medicamento Invanz é um antibiótico que tem a capacidade de eliminar uma ampla gama de bactérias que causam infecções. É indicado para o tratamento de pacientes adultos com infecções moderadas a graves causadas por cepas sensíveis dos microorganismos e para o tratamento empírico inicial anterior à identificação do patógeno causador das infecções  deve ser custeado pelo plano de saúde, como lembra o advogado especialista em plano de saúde Elton Fernandes.

 

Confira mais uma decisão em que o paciente teve seu direito garantido:

 

Continuar Lendo

 

Plano de saúde. Home-care. Autor diagnosticado com osteomielite crônica de tíbia. Cirurgia para raspagem e retirada de infecção. Pós-operatório com prescrição médica de controle infeccioso com o uso intravenoso do medicamento Invanz (antibioticoterapia parenteral) e manuseio de cateter PICC. Pretensão à prestação de serviços médico-hospitalares em regime domiciliar. Laudo técnico que atesta a necessidade de afastamento do autor do meio hospitalar. Negativa de cobertura, a despeito de expressa prescrição médica. Abusividade manifesta (Súmula nº 90 do TJSP). Conduta que implica na concreta inutilidade do negócio protetivo. Irrelevância de haver exclusão no contrato. Desequilíbrio contratual no exercício abusivo do direito que se evidencia na desigualdade material de poder. Prestadora que confunde boa-fé com interesse próprio. Menoscabo com o consumidor. Quebra do dever de lealdade. Interpretação que fere a boa-fé objetiva e contrapõe-se à função social do contrato (arts. 421 e 422 do Cód. Civil). Direito subjetivo do consumidor que se conecta ao princípio fundamental da dignidade humana (art. 1º, III, da CF). Lesão à equidade. Cobertura devida. Incidência dos arts. 4º, caput, 7º, 46, 47 e 51, IV, do CDC. Reembolso integral devido. Sentença mantida. Recurso desprovido

 

Segundo o advogado especialista em plano de saúde Elton Fernandes, sempre que houver indicação médica é dever do plano de saúde custear e, caso não respeitem este direito, o paciente deve sempre acionar a Justiça auxiliado por um advogado especialista.

 

Como já dito em outros artigos deste site, o rol de procedimentos obrigatórios da ANS é meramente exemplificativo, além disso o fato do tratamento não estar previsto no contrato, não impede que o plano de saúde custeie o pagamento integral do medicamento.

 

Caso o seu plano de saúde se recuse a custear medicamento prescrito pelo seu médico, você poderá procurar este escritório de advocacia com urgência a fim de buscar tal direito na Justiça, o que pode ser garantido em 48 horas, como é de costume.

 

Veja também: Medicamento VECTIBIX - PANITUMUMAB - deve ser custeado pelo plano de saúde, decide Justiça

 

Com sede na Avenida Paulista, 575 - Cj. 203, na cidade de São Paulo, o escritório Elton Fernandes Sociedade de Advogados possui uma vasta rede de advogados em quase todo Brasil que pode ajudar a garantir seu direito.

 

Ficou com dúvidas? Ligue e agende sua consulta com nossos advogados no telefone 11 – 3141-0440 ou pelo whatsapp 11 – 97751-4087.

 

 

São mais de 4.000 ações judiciais
elaboradas ao longo dos anos.
Fale com a gente