Erro Médico em cirurgia que causa infecção hospitalar gera dano moral

Erro Médico em cirurgia que causa infecção hospitalar gera dano moral

Erro Médico em cirurgia que causa infecção hospitalar gera dano moral 

Erro Médico - Infecção hospitalar gera dano moral

 

Segundo o professor e advogado Elton Fernandes, a Justiça tem protegido consumidores que passam por situações consideradas como erro médico e erro de diagnóstico, considerando inclusive que os casos graves de infecção hospitalar são capaz de gerar dano moral ao paciente

 

O consumidor que sofreu com erros médicos ou más condições em hospital que gararam infecção hospitalar devem sempre buscar seus direitos na Justiça, pois erros como esse podem ser provados e indenizados. Situações como estas geram evidente abalo psíquico ao consumidor e providências precisam ser tomadas.

 

Acompanhe a decisão que garantiu indenização por danos morais e materias ao plano de saúde por erro em intervenção cirurgica, culminando em infecção hospitalar ao paciente:

 

Continuar Lendo

 

INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS – ERRO MÉDICO – INFECÇÃO HOSPITALAR - PRELIMINAR DE NULIDADE DA SENTENÇA POR FALTA DE FUNDAMENTAÇÃO – Não caracterização – Não é nula a sentença com motivação sucinta ou deficiente, mas apenas aquela desprovida de fundamentação – MM. Juiz que fundamentou a decisão segundo os elementos que formaram sua convicção, de forma concisa as razões de decidir - PRELIMINAR REJEITADA. INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS – INTERVENÇÃO CIRÚRGICA – INFECÇÃO HOSPITALAR - Autora submetida à cirurgia de "artrodese" da coluna lombar com implantação de parafusos metálicos em 14.06.2007, seguida de alta hospitalar – Necessidade de nova internação da autora no hospital réu, em razão de infecção na ferida operatória – Exames laboratoriais realizados no material colhido da coluna (secreção) indicando a presença da bactéria Staphylococcus aureus como agente etiológico da infecção – Alta hospitalar posterior - Necessidade de outra internação para limpeza cirúrgica associada à remoção de próteses implantadas em razão de a infecção não ter apresentado resposta adequada ao tratamento clínico, conforme esclarecimento da perita - Processo infeccioso desenvolvido pela autora incontroverso – Alegação da ré, por outro lado, que cumpre com todas as regras de segurança e higiene para prevenir eventuais infecções dentro dos padrões estabelecidos pela vigilância sanitária – Embora nenhum nosocômio esteja imune em "grau zero" de infecção, a ré não se desincumbiu do ônus da prova do alegado cumprimento de regras de segurança, de que os níveis de infecção hospitalar estivessem dentro da normalidade e de que o hospital procurasse minimizar os fatores de riscos – Não atendimento das normas estabelecidas pela Lei nº 9.431/97 e Portaria 2.616/98 do Ministério da Saúde – Falha na prestação de serviços - Responsabilidade objetiva – Dano moral configurado

 

O advogado Elton Fernandes lembra que havendo uma situação como essa, é preciso que a paciente solicite imediatamente todo o prontuário médico: “Ela deve estar munida de todos os documentos e procurar um advogado especialista na área. Nosso escritório, por exemplo, conta com médicos que fazem a análise dos documentos para que a ação judicial tenha também apontamentos técnicos e maiores chances de êxito”.

 

Além de casos como este é comum vermos pacientes que ficam dias ou semanas sofrendo com dor sem receber o diagnóstico correto e recebendo tratamento apenas com medicamento. Alguns se afastam de seus trabalhos por semanas e ao fim a demora no atendimento ainda resulta em cicatrizes que inicialmente nem existiriam, afirma a advogada e especialista em direito da saúde, Juliana Emiko.

 

Assim sendo, o paciente que necessita de um determinado medicamento e que não for custeado pelo convênio médico deve procurar imediatamente um advogado especialista em plano de saúde, a fim de buscar a cobertura do medicamento.

 

Não raramente as decisões judiciais sobre o tema podem ser concedidas em até 48 horas, garantindo desde logo o início do tratamento do paciente.

 

Fale agora mesmo com nossos profissionais. Mande sua mensagem ou ligue para o telefone 11 - 3141-0440.

Fale com a gente