A importância de consultar um advogado antes de um procedimento estético dental

A importância de consultar um advogado antes de um procedimento estético dental

A importância de consultar um advogado antes de um procedimento estético dental

 

Nos últimos anos, a procura por alguns tipos de procedimento estético dental tem aumentado consideravelmente em todo o país. 

Esse interesse é comumente atribuído ao impacto que essas melhorias cosméticas causam, tanto na autoestima quanto na qualidade de vida dos pacientes.

No entanto, em conjunto com a multiplicação das intervenções embelezadoras, também houve um crescimento na quantidade de processos judiciais contra médicos, dentistas e outras especialidades da área da saúde, principalmente quando não há a devida verificação sobre a clínica e profissionais.

Para se ter uma ideia, estima-se que houve, aproximadamente, o aumento de 1600% dos casos de processo, sendo o maior número pelo não atendimento das expectativas do paciente. 

Por esse motivo, também, alinhar as expectativas com as possibilidades de tratamento, bem como com os cuidados por parte do profissional e paciente são fundamentais logo nas primeiras consultas.

Esses dados, divulgados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), são corroborados com o fato de que, atualmente, cerca de 50% dos acionamentos jurídicos contra o setor odontológico dizem respeito ao não cumprimento das expectativas do paciente.

Contudo, os casos relacionados à imperícia e aos erros médicos durante a realização de tratamentos, como a aplicação da lente de contato dental, também podem acontecer.

Por isso, antes da realização de qualquer intervenção estética, seja a aplicação da própria  lente de contato dental ou um clareamento, é fundamental que o paciente escolha profissionais bons e qualificados, bem como que tenham muita atenção com todas as etapas dos procedimentos e sane todas as dúvidas antes do procedimento.

Importância de consultar um advogado antes dos tratamentos odontológicos

Principalmente quando se deseja fazer tratamentos mais longos ou que necessitem de mais investimento – como é o caso do uso do aparelho ortodôntico –, é comum que os pacientes tenham várias dúvidas e receios acerca dos procedimentos.

Deste modo, é possível realizar consultas prévias com o odontologista. Contudo, mais ainda, pode ser interessante verificar com um advogado as expectativas e alinhamento feito junto à clínica.

Isso porque assim é possível compreender melhor os seus direitos como paciente, especialmente, diante a possível ocorrência de problemas como os que já foram descritos ou em outros casos, como:

  • Não fornecimento de informações referentes ao tratamento;
  • Disponibilização de produtos questionáveis;
  • Erros de diagnóstico que permitiram o agravamento de doenças;
  • Erros médicos durante os procedimentos.

Além disso, essas visitas podem ser fundamentais para a obtenção de informações sobre a legalidade dos trâmites e das ações realizadas pelo dentista ou por parte do consultório escolhido, para/com o paciente.

O que os erros odontológicos podem causar no paciente?

Um dos erros mais comuns durante um procedimento estético odontológico é a falta de diálogo ou a comunicação inadequada sobre os possíveis efeitos colaterais, seja envolvendo os cuidados necessários com o aparelho de dente (durante e após o tratamento) ou mesmo sensibilidades que podem surgir nos primeiros dias após um clareamento.

Isso porque, em conjunto com as altas expectativas do paciente, o surgimento dessas ocorrências pode fazer com que a pessoa se sinta lesada ou prejudicada pelo dentista, mesmo que seja um fator indireto.

Mas, além disso, os erros médicos – que podem ser cometidos por mal planejamento, falta de habilidade ou experiência, entre outros –, mesmo que menos frequentes, são categorizados pela lei como negligência, imprudência ou imperícia e precisam ser averiguadas.

Negligência

A negligência diz respeito ao atendimento insatisfatório, no qual o profissional deixa de fazer um tratamento que se era esperado e, em consequência, gera complicações na saúde bucal do paciente, como a perda dentária ou o aparecimento de dores, por exemplo.

Imprudência

A imprudência se refere à efetivação, de forma premeditada, de ações e procedimentos que não deveriam ter sido feitos, bem como a execução de ações precipitadas ou descuidadas. 

Tal como, a realização de um tratamento mais invasivo sem a avaliação necessária da saúde dos dentes ou do histórico médico do paciente.

Isso porque, em um clareamento, por exemplo, a utilização do gel químico clareador pode comprometer a integridade de toda a estrutura dentária, causando queimaduras e sangramentos nas gengivas e bochechas, além de fatores como:

  • Originar novas manchas no esmalte dentário;
  • Provocar dores;
  • Causar a sensibilidade dentária;
  • Inflamar a polpa do dente;
  • Agravar quadros de inflamação gengival e periodontite.

Assim, para garantir a qualidade do clareamento dental, é fundamental tratar antes qualquer inflamação existente, bem como realizar uma anamnese adequada para avaliar a real necessidade e esclarecer os riscos existentes.

Imperícia

Essa categoria envolve todos os casos em que o cirurgião-dentista presta um serviço mal feito ou não correspondente com a sua qualificação e aptidão. Como a aplicação de técnicas ou metodologias questionáveis para a aplicação de um canal ou implante.

Isso porque esse tipo de ação pode causar dores severas, danos à saúde do paciente e até o surgimento de consequências que impossibilitam a correção da intervenção ou novas tentativas.

Nesses casos, a má instalação das ferramentas, como o pino de titânio, podem ainda prejudicar os tecidos nervosos e causar a perda da massa óssea maxilar ou mandibular.

Considerações finais

Quando os pacientes não conhecem os seus direitos, eles podem deixar de procurar a justiça e o ressarcimento que lhe é devido por algum dano causado em sua saúde por erro profissional.

Assim, com o auxílio de um advogado, o erro médico pode resultar em uma indenização relativa aos danos morais, estéticos ou materiais provocados. 

Contudo, tão necessário quanto procurar os direitos é utilizar o suporte legal e as ferramentas atuais para pesquisar profissionais responsáveis e devidamente credenciados aos órgãos reguladores para realizar um implante dentário com ainda mais segurança, tranquilidade e o devido apoio médico e legal.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Fale com a gente